quarta-feira, abril 07, 2010

Recado ao coração...

Coração, saudações e saudades sinceras

Como eu estou? Eu vou indo, não posso parar, ainda que preocupado contigo. Te ver mal é estar mal, te ver sofrendo é estar sofrendo. Tempo complicado vem fazendo não é mesmo? Mas eu continuo acreditando que tudo vai melhorar, prefiro continuar com meus bons pensamentos. Faz uns dias já não durmo direito, tem feito um calor desgraçado, tenho andado sem sono também, mesmo dormindo bem duas horas da manhã e acordando às sete... Nem sonhos eu ando tendo, vazio total na cabeça, enquanto no peito...

Passou rápido não é mesmo? Janeiro, fevereiro e março, de repente foram embora. Eu lembro mesmo é dos bons momentos, minha memória faz questão de esquecer os maus, embora com esforço eu consiga, mas não quero.

Quanta coisa acontece, não é mesmo? Pensa em tudo do começo do ano pra cá, pensa nesse último mês, em tudo que vai acontecer. Tanta coisa boa pra acontecer. Fiquei doente, ainda nem melhorei, e tenho a pesada impressão dessa doença ter atrasado a minha vida, atrapalhado todos os meus planos (que confesso, nem são tão bons mesmo).

Escândalos de corrupção, multas ao presidente, começo e fim dos campeonatos estaduais de futebol, a Copa do Mundo na boca de muitos, as eleições que se aproximam (“eu presto atenção no que eles dizem mas eles não dizem nada”). As chuvas, hein? Arrasando tudo... As pessoas que morreram, nasceram, filmes estreando (vamos ver um algum dia?), reféns sendo soltos por guerrilhas, os atentados que não cessam, gente morrendo de greve de fome, visitas de outros presidentes, tantas notícias ruins e boas ao mesmo tempo, tanta coisa acontecendo, tanta vida.

Mas quer saber o que mais me chamou atenção mesmo, de verdade? Os terremotos no Haiti, Chile e México (México mesmo?). Mais do que os tremores de terra e toda a destruição e desgraça trazidas por eles. A minha atenção estava concentrada na reconstrução (além das ajudas vindas de todas as partes, o ser humano tem um potencial pro bem incrível). Teve gente perdendo tudo, tudo mesmo. E eles não desistiram, não choraram e ficaram parados. Eles estavam tentando. Tentando! E isso é a coisa mais bonita, não se deve parar diante de uma adversidade. É preciso reconstruir, renovar, significando ou não as duas coisas ao mesmo tempo. Dos destroços é possível ter vida de novo. Deles podem sair as mesmas coisas, como podem sair coisas ainda melhores! Melhores! Eu continuo com meu pensamento positivo, as derrotas sofridas (pequenas em comparação com as vitórias) não conseguem tirá-lo de mim. Eu sigo sempre acreditando que tudo vai melhorar, de uma forma ou de outra. Não só para mim, mas para nós dois.

A vida é cheia de surpresas, o mundo não dá voltas? Então por qual razão não acreditar em dias melhores? Eu sigo vivendo e acreditando...

Até,
Beijos
=]

11 comentários:

Jéssica Trabuco disse...

Eu acredito em dias melhores, por isso já me chamaram de louca.
MAs é como vc mesmo falou, depois da destruição podem ser construidas coisas melhores, e por que não?
Eu acredito e faço a minha parte.

leni.com disse...

Quem me dera ser assim...qdo penso em otimismo,penso em pessoas imprescindíveis.

Gisa Carvalho disse...

Tuas cartas ao coração parecem cartas à humanidade.

Anônimo disse...

como é que pode hein?! essa fonte inesgotável que você é... lindo demais te ler. saudade de te encontrar pela vida, tá dificil hein. nem lembro quando foi a última vez que a gente se viu. como faz com isso?! a gente podia marcar um café qualquer dia pra só falar da vida. ultimamente até que, talvez, tenha muita coisa pra falar. =)
beijos
saudade

priscila lima disse...

opa. por algum motivo meu comentário apareceu anônimo. só pra identificar.

Priscila L.

Rafael disse...

Linda a carta ao coração

será que ele vai aguentar ao lê-la?rsrs

Flavih Jones disse...

Suspirei.
*.*

Maíra disse...

Que lindo, Rafa!
E é assim mesmo, construindo, reconstruindo que a gente vai. Assim como as casas no Haiti, os amores no coração.
Não tem coração que não goste de um recado desses.
Beijos!

Marcelo Victor de Souza Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo Victor de Souza Gomes disse...

"não se deve parar diante de uma adversidade. É preciso reconstruir, renovar, significando ou não as duas coisas ao mesmo tempo. Dos destroços é possível ter vida de novo. Deles podem sair as mesmas coisas, como podem sair coisas ainda melhores! Melhores!"

Acho que o trecho acima é "a moral da história". =]
E o título bem podia ser "recado DO coração", assim não restariam dúvidas de que não se trata de uma fábula (com moral e tudo!). Se bem que não são as letrinhas que resolvem tais dúvidas, né?

Acreditar que é de verdade depende de tantas coisas (até dos acontecimentos mundiais, por que não?). Mas diante de qualquer coisa, a certeza e a confiança pra sonhar junto só vêm mesmo de uma postura (do sentimento também, mas esse por si só não basta!).
Como diria Proust, a grande descoberta, meu caro amigo, nada tem a ver com novas paisagens, mas sim com novos olhos. Talvez olhos que além de verem o que anda acontecendo, façam acontecer de um modo diferente.
E não me sai da cabeça uma coisa: não é certo que em um mundo tão arriscado, tão cheio de ameaças destruidoras, somente o projeto (ou sonho) construído sob sólidos alicerces tem maior chance de se sustentar, de permanecer?

Enfim, Rafa, fica a dica. Talvez tudo se dissolva, talvez tudo seja destruído, mas talvez os esforços (pela força da vontade) sejam suficientes pra evitar.

Grande abraço mah! =]

Juss disse...

Preocupação não só consigo, mas com o mundo todo. A Gisa falou bonito. Quem deveria ler era a humanidade, mas com o coração.
=]