sábado, novembro 05, 2011

Inocência

- Alô? Bom dia...
- Bom dia? Bom dia? Eu fico sabendo da tua vida por outra qualquer e você vem me dizer “bom dia”?

- Alô? Quem fala? A senhora pode se acalmar um pouco? Com quem eu falo?
- E ainda mais essa cara de pau fingindo que não se lembra da minha voz... Você mudou muito, meu caro...

- Selma? Selminha? É você, meu bem?
- Meu bem? Meu bem? Olha, César Augusto Vasconcelos de Araújo Silva e Lemos, o seguinte é esse: que história é essa que você não está mais namorando?

- Ah, é verdade... Notícias ruins voam, não é?
- Não muda de assunto, conta logo tudo.

- É tudo verdade. Depois de quatro anos, ela disse que precisava de um tempo pra pensar mais nela, buscar o outro “eu” dela, conhecer novas pessoas... Escuta, como você ficou sabendo?
- A Raimundinha me contou...

- Ah, entendi, não lembrava que ela era sua vizinha...
- Aposto que você nem lembrava de mim...

- Oi? Como? Pode repetir?
- Continua essa história sem fim...

- Pois é, encontrei com ela hoje cedo, quando fui comprar pão. Ela foi tão legal, sabe? Fez um convite para ir à casa dela hoje à noite, lá pras dez, ver filme na casa dela, jogar vídeo game...
- Ah, César, como você é inocente!

- Inocente? Como assim?
- Não está vendo que ela só quer uma desculpa para te levar para casa? E se aproveitar da tua inocência? Essa conversa de vídeo game nunca deu certo! É pior que massagem e filme com vinho e fondue!

- Selminha, por que está tão invocada?
- Porque eu me preocupo com você! É lógico!

- E por qual razão passou tanto tempo sumida?
- Eu? Sumida? Você que não me procurava mais! Quer dizer, você começou a namorar e esqueceu as amigas, mas tudo bem, deixa pra lá. Como está com a finada?

- Pois é, ela me convidou para ir hoje à tarde para a casa dela, conversar um pouco...
- Conversar? Já vi tudo, hoje o dia não está fácil, essas mulheres estão terríveis. Ela só quer se aproveitar da tua inocência...

- Como assim?
- Oura, tu é um cara maravilhoso, certo? Aí ela te larga e te deixa sofrendo por dias e depois, com desculpas totalmente esfarrapadas e ainda quer receber tudo de volta de mão beijada? Não é assim não, tem que aprender a valorizar!

- Então ela só quer se aproveitar da minha inocência... Poxa vida... E agora, o que eu faço?
- Você não faz nada. Fique em casa que eu vou aí e resolvo tudo.

- Você vai vir aqui? E pra quê?
- Oura, pra me aproveitar da tua inocência antes delas...
=]