terça-feira, agosto 08, 2017

O melhor

Esses dias, antes de ir ao cinema com minha amada, lembrei de uma camisa muito bonita comprada há alguns meses. Estava esperando uma ocasião especial. Quando a localizei, um susto: estava com alguns furos. Decepção total da minha parte, pois a ocasião especial havia chegado e eu não poderia utilizar a mais bonita das minhas camisas.

Alguns acontecimentos e encontros nesses últimos dias me fizeram pensar bastante sobre a vida, a morte e um possível pós-morte. Não sabemos o depois, esse famoso pós. Na verdade, não sabemos o dia de amanhã.

Conversava com alguns amigos sobre a vida, suas limitações, maravilhas, e, meu Deus, como ela é curta! A gente perde tempo com tanta besteira durante esse tempo. Apesar de curta, sabemos que ela é repleta de possibilidades. Por qual motivo não ajudamos uns aos outros e fazemos desse tempo nosso aqui na Terra algo bem bacana? Por qual motivo ficar guardando o nosso melhor?

Não adianta guardar a melhor roupa ou algo do gênero. Não adianta ficar esperando por dias melhores sem fazer nada para tornar isso possível. Temos um potencial imenso dentro de cada um de nós. Nesses últimos meses, apesar da correria, da rotina, dos imprevistos, tive dias maravilhosos, com pessoas fantásticas ao meu lado. A felicidade a gente vive, não declara. Muitas vezes, nem se dá conta.

Eu não posso reclamar da vida, pois ela tem sido generosa comigo desde sempre. Uma amiga, há muito tempo, disse que eu só atraia gente boa pra perto de mim. Isso é verdade e se confirma todos os dias. Agora, é seguir dando o melhor de mim todos os dias, pra mim e pras pessoas ao meu redor. Vou dar o melhor de mim nessa vida, porque não sei se há uma próxima para fazer isso.