quinta-feira, outubro 09, 2008

Pensamento, lento, indo....

Tava com o plano de colocar algo novo todo dia.
Mas como não tá dando certo, tá com pausa de uma dia, eu já tava pensando em desistir.
O negócio é que aqui não tem fraqueza - tem leveza tb heeheh - e por isso eu não desisto, vai que um dia eu consigo né?

Eu queria ter mais tempo pro blog, não tempo, tempo eu tenho de sobra, não sei como eheheheh, o negócio é o tempo pro blog, que vai aumentar.

Eu ando escrevendo demais, até em recados do orkut eu me empolgo a escrever agora, descontrolado heeheheheh.

Eu não tinha nada de novo pra colocar, ia colocar umas coisas velhas mas que são novas por aqui.
Aí comecei a escrever, e saiu um negócio que eu não consegui identificar.
Eu ia colocar outro repente pra ver se a Lorena se empolga em ir pra praça comigo ganhar uns trocados com o repente e ser mais feliz eheheheheh

Ê sentimento bom, sabe-se lá o que é isso.
E aí vai o negócio que eu escrevi.

E o título vai ser: Pensamento, lento, indo...
pq precisa de título e esse ficou bem nada a ver que nem o texto eheheheheh
lá vai

Meu inimigo não é o branco do papel
Quer dizer, da tela
Meu inimigo é o branco na cabeça
Que tristeza não ter o que escrever
Quero algo novo para dizer
Quero aprender e quero ensinar
Será que é tão difícil uma boa história pra contar?
A inspiração esta aí: no mundo
Só não vê quem não quer
Não consigo não pensar em nada
Pensar é uma coisa, mas escrever é outra
É diferente, é complicado e mais simples
Eu poderia contar histórias da infância
Mas não é o momento
Eu poderia falar de meus amores
Mas agora eu não agüento
Eu poderia falar de meus amigos
Mas eles merecem algo melhor
Eu poderia falar de política
Mas não, não tenho paciência agora
Eu poderia desenterrar algumas crônicas mentais
Mas esse não é o espaço
Quem sabe uma poesia feita de improviso agora
Ou um mal-feito e engraçado repente
Mas ainda não é a vez
Eu poderia também listar as várias coisas que odeio
Mas não vejo a menor graça nisso
Eu poderia falar sobre tudo que sei
Mas daria poucas linhas aqui
Eu poderia perguntar o que não sei
E morreria em frente ao computador
Eu poderia falar sobre o Amor, que é sempre uma boa saída
Mas ele saiu um instante e vai ficar de fora agora
Eu poderia falar do Ser e seus estados complexos
Mas ia dar uma dor de cabeça e não sei falar sobre isso mesmo
Eu poderia falar de minhas tentativas de ser poeta
Mas não renderia nada agora e duvido se depois renderia
Eu nem sei mesmo o que queria agora
Eu acho que eu não queria era estar em frente ao PC agora
Eu gostaria de saber por qual razão começo falando de uma coisa
E termino falando de outra
Eu gostaria mesmo era de saber como foi o teu dia
Se deu tudo certo, as alegrias e tristeza
Queria saber teus planos para amanhã e para o amanhã
Saber de teus medos e teus desejos
Saber o que te entristece e o que te faz feliz
E gostaria também que não me contasse tudo
Pois assim perderia toda a graça
=]

Um comentário:

Anônimo disse...

necessario verificar:)