quarta-feira, setembro 26, 2007

O Sujeito

O Sujeito

Ele parece que vai Cair.
Mas só balança, balança.
Tão lúcido quanto um bêbado.
Tão inocente quanto uma criança.

E ele parece tão Perdido.
Vai prum lado, vai pra outro.
Está dançando, está bailando.
Nem se estressa com o sufoco.

E ele parece tão Ausente.
Olha pra lá, olha pra cá.
Parece que deixa o corpo - e a mente,
Manda ir passear.

E ele parece tão Sozinho.
Um olhar perdido, um jeito manso.
Parece sempre em descanso,
Deixando acumular pedras no caminho.

E ele parece tão Alegre agora.
Está entre amigos.
Está com a família.
E ele sabe que essa é a melhor hora.

E ele parece tão Apaixonado - coitado
Um suspirar quando ela passa.
Sorrindo mesmo com a desgraça
De por ela não ser notado.

E ele parece tão Feliz.
Abraça a todos.
Beijo pra algumas.
Parece tudo como sempre quis.

E ele parece Menino novo
De tudo acha graça.
Pra ele não existe estorvo.
De tudo faz piada.

E ele parece passarinho.
Música pra ele é natural.
Só não tente prendê-lo.
Isso só termina mal...

E ele continua Branquelo
E ele continua Sonso
E ele continua Magrelo
E ele continua Risonho
E ele permanece Aéreo
E ele ainda tem Sonhos
E ele ainda se faz de Tonto
E continua Estranho
E ele parece Ótimo!
E permanece o Mesmo.
E ele continua tão Normal.
E ele continua Vivo!
E já não é o Mesmo.
E ele é pura Contradição.
Ele continua um Aprendiz.
E ele aprendeu a dizer Perdão
Ele quer saber quem sabe Amar
Porque um dia ele quer Aprender
Porque ele deu folga pro Coração
Ele nem pensa no Amor agora
E sabe que o Mundo dá voltas
Ele sabe que o Destino é criança arteira
E quer viver Mais ainda
Ele não quer parar pra Pensar
E sabe que precisa Parar
Ele dispensa as Algemas
Ele já pensou em Fugir
Ele resolveu Lutar
Ele conhece o amargo da Derrota
Ele já Venceu outras vezes
Ele sabe que Tudo vai melhorar
Ele descobriu que tão Cedo não vai parar
Ele sabe que Não está só
Ele sabe que a vida é Bela
Ele continua fazendo Caminhos
Ele segue Errando e Acertando
E ele continua Feliz!
E sem pensar em mudar...

E ele ainda sabe
Que pode morrer de escrever
Nada nele vai mudar
Ele sabe como pensa
E como costuma agir
Mas ele é Contraditório
Sabe que pode mudar
E caso isso aconteça
Tomara que Ele perceba

Nenhum comentário: