quinta-feira, março 26, 2009

Oura, é Carnaval!

Bom, recorde esse mês mesmo.
Esse texto é do mês passado, da época do Carnaval. Eu ia colocar antes mas acabei deixando de lado pra poder dar uma melhorada nele, que também nem deu certo heheehe.

E agora eu vou colocá-lo enquanto eu faço um outro texto acolá. Assim que acabar eu coloco ele aqui, tem horas que não dá tempo e dá preguiça de escrever, mas eu vou ser forte! Esse texto eu acho meio estranho, acho que eu enrolo demais, que quero dizer alguma coisa e acabo sem dizer, mas, oura, é Carnaval!

E vamos que vamos.

Bjos e abraços!
=]

“Thuco, thuco, thuco gostoso, thuco, thuco, dança do povo...”
“Rala a tcheca no chão! Chão! Rala a tcheca no chão...”
“Isso não é reggae, isso não é samba... Cuduro! Cuduro! Você faz assim, você faz assim...”
“If i was young, i leave this town...”
“Pretty girl….”

“Acabou-se o carnaval! Vão se embora seus sem-futuro! É o fim da festa! Do bacanal!” Dona Roberta Pessoa, 22 anos.

Acredito que estudioso nenhum há de abarcar o sentido real do carnaval, se é que ele existe. Pode até imaginar o sentido imaginário, mas vai ficar na imaginação. Como disse um sábio, que não conheço, cada caso é um caso. O sujeito aproveita o carnaval pra ficar em casa com a família, filhos, amigos. O amigo do trabalho viaja e se veste de mulher. A chefe dele viaja com o amante, que é o marido de outra mulher. Outra viaja para o exterior, ou para o interior. Uns vão para as serras, curtir um frio, jazz and blues. E tem aqueles que vão para as praias. E quem nunca foi para um carnaval em alguma praia, vou contar o que nós vimos nesse nosso carnaval mais recente.

O Carnaval é uma festa religiosa, ou, pelo menos, era pra ser. Alguém lembra o que é comemorado? Não? Tudo bem, ficamos com o feriado pelo feriado mesmo. Foram cinco dias de carnaval (sexta à noite, sábado, domingo, segunda, terça e quarta pela manhã). E voltei achando que se durasse mais dias tinha muita gente morrendo, ia ser pesado demais, pro fígado, rins, estômago, cérebro, e, pro bolso.

Quando se fala em Carnaval na praia, quais pensamentos surgem primeiro na cabeça de muitos? Casas lotadas, pouca roupa, muito álcool, pouco juízo e muitas loucuras. A sexualidade está no ar, assim como o lúdico. Sim, o lúdico. Adultos tornam-se crianças, sendo que mais perigosos. As crianças, ah, essas se divertem, tem coisa melhor do que poder jogar goma em todos os conhecidos e desconhecidos que passam por perto? Não, não tem. Mas nem todos ficam perigosos, há alguns que fazem a brincadeira saudável. Sim, isso existe.

E como é isso? É ver a misturada que a festa faz em alguns locais. Todos de branco, no rosto e no corpo, a goma iguala todo mundo. O mais fraquinho suja o mais fortinho. E não brigam. Bem, alguns brigam, e esses não sabem brincar. A festa mais democrática? Bom, pode ser. Pode não ser.

É época de mela-mela, de muita música (?) em alto volume, desrespeitando o sono dos demais. Oura, é Carnaval. Tudo pode não é? Não é o que dizem? É época de trair namorado e namorada. Oura, é Carnaval. É época de beber até perder a consciência. Oura, é Carnaval (e tem vezes que nem precisa ser pra fazer isso). É época de beijar todos e todas. Oura, é Carnaval. É época de fazer tudo loucamente, carpe diem levado ao extremo possível. Oura, é Carnaval.

No Carnaval a gente vê o bombado de academia vestido de mulher. E ele, tão macho, se solta tanto que nem percebe que está gostando daquele vestido, daquela mini-saia, maquiagem, de agarrar outros homens... Opa! Oura, é Carnaval. É época de descobrir que o Carnaval é uma época à parte. Oura, é Carnaval.

No Carnaval a gente vê a menina com o namorado dizendo “amor, vou só ali comprar um água”, e acaba beijando mais cinco bocas diferentes, de homens e mulheres. Ou então ele quem diz “amor, vou comprar uma cerveja e volto já, fica aí!”, e volta depois de alguns bons minutos dizendo “a fila tava terrível” e pensando no que vai contar aos amigos depois.

É tempo de ver adultos e crianças brincando sem medo de serem felizes. De ver senhores e meninos juntos numa grande algazarra. De ver meninos e meninas tornando-se homens e mulheres. Indo brincar escondido na beira da praia escura, dentro do carro, na casa por um instante vazia...

É tempo de ver que todos são dançarinos e simpáticos a quase tudo. Ver várias pessoas dançando até o chão com o maior sorriso do mundo. Vê que o álcool, o maior lubrificante social inventado pelo homem, realmente funciona! Se o homem inventou ou descobriu, ganhe o bônus e o ônus, pois se algumas pessoas ficam mais sociáveis, algumas ficam também mais perigosas, principalmente com um carro ou moto ou garrafa ou pedra ou nada nas mãos.

É tempo de ver a garotinha triste porque viu o namorado com outra. De ver o marmanjo chorando porque a namorada foi pegue por trás das dunas com o melhor amigo dele. É tempo de ver o perdão nascendo, e morrendo, amores nascendo, outros acabando. É Carnaval, oura mais!

É tempo das muitas paixões ou da grande paixão. Ver aquela pessoa na praia pela manhã, passar o mela-mela atormentando-a, ganhando a simpatia mesmo enchendo boca e olhos e ouvidos de goma. Arrancar um sorriso e saber que mais tarde na praça as coisas vão melhorar. É hora de se apaixonar de novo no outro dia. É tempo de não ter hora para nada. Sempre é hora de diversão.

É tempo de ficar mais perto dos amigos, ficar sozinho com o amorzinho, sem pais nem irmãos menores por perto, sem papagaio vigiando. É tempo de estreitar as amizades, acabar com algumas e começar outras. É tempo de aproveitar o tempo, para descansar, para utilizar todas as energias possíveis e impossíveis. Pra extravasar todas as tensões e frustrações. Mas quem lembra delas? Oura, é Carnaval!

No Carnaval é permitido tudo, menos ficar de cara emburrada, isso não combina. Porque é nessa data que se esquece tudo de ruim, prega-se a overdose de alegria, de loucura. Quem conseguir descansar, extravasar e ficar satisfeito com o feriado está de parabéns. Vale ficar só na tranqüilidade também, só no sossego. Bom, pelo menos tentar, pois não é difícil um playboy qualquer sem nada na cabeça aparecer mostrando que o som do carro dele pode ser mais alto que um trio elétrico. Pode ser Carnaval, mas babaquice, idiotice demais em uma só pessoa devia ser crime, punidos com o Carnaval todo em cana, vendo o sol nascer quadrado. Isso serve para os chatos, para os marginais, para aquele que só querem saber de brigar.

Eu não entendo como um sujeito pode estar rodeado de mulheres e ficar olhando para outros homens atrás de briga. Tanta mulher bonita por aí, tanta coisa melhor pra fazer... Com um tempo bom desses pra fazer tanta coisa... Carpe diem! Vamos aproveitar o máximo o dia, a vida! E, oura mais, é Carnaval!

=]

4 comentários:

Airtiane disse...

Carnaval...
Tenho muito pra falar desta data, acho que daria até um post, na verdade prefiro escrever sobre a quarta-feira de cinzas, me inspira mais.
É que minha opinião sobre o carnaval é bem própria, quem me conhece sabe o que eu penso desta data. Na verdade, tenho duas visões do carnaval, talvez até mais, porém, prefiro sintetizá-las em duas palavras: Calmaria e Euforia. Ambas em seus pontos mais extremos possíveis.
Lembrei-me agora de uma crônica de Airton Monte que li certa vez, sobre a Quarta de Cinzas, eu tenho ela, só não sei onde coloquei, quando encontrar te mando. [encontrei essa que também é bem interessante, e eu não conhecia http://www.opovo.com.br/opovo/colunas/airtonmonte/857190.html]

PS:Eu ia ser breve heim, tem jeito não hehehehehehehe

Bjão

lorena disse...

estou ateh emocionada com este blog, este recorde, quem dera fosse sempre assim, um presente sem fim...

assino embaixo, paracuru se carnaval durasse mais um dia num tinha mais pão e a cidade teria sido engolida por tanta garrafa nas ruas, por tanto côco jogado na praia, um absurdo.

idiotice e babaquice devia ser crime sempre, gnt q briga por td, q naume entende o q é diversão, o q é respeito ao espaço do outro. gnt sem espirito, sem o minimo de ideia do q seja democracia. infelizmente sempre vai ser assim.


aproveitemos entaum e façamos sempre nosso proprio carnaval.

=]

marinaCavalcante. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marinaCavalcante. disse...

Texto muito bom. Associação ótima de idéias... e, verdades. O carnaval é realmente um momento mágico. Onde todos temos a oportunidade, se quizermos, de vestir um personagem... liberar a imaginação e, nos divertirmos com isso. E, a questão dos que, muitas vezes até impensadamente, acabam com essa alegria é um ponto triste. Mas, que está sujeito de se acontecer em quaisquer épocas do ano/ da vida. Como remédio para isso temos os pensamentos positivos, a fé, a alegria e o amor. Beijo!

♪ "Vem pra misturar juízo e carnaval(...)" ♪