segunda-feira, março 16, 2009

Crônica de domingo

É Lorena, acho que esse mÊs é recorde mesmo.
Negócio tá indo bem heehehheeheh.
Essa agora saiu no domingo, aí vou colocar logo hoje.
Conseguindo esvaziar um pouco a cabeça.
E é isso, até depois.

Abraços e beijos!
=]

Crônica de domingo

O domingo amanhece chuvoso, não dá vontade nem de sair da cama. Sair daquele mundo bem quente e aconchegante pra enfrentar o mundo frio. No entanto, é preciso ir lá fora, resolver assunto inacabados, os quais nunca se acabam, graças.

Depois de um café da manhã bem light, ou o primeiro turno, é hora de sair de casa com dois objetivos: colocar crédito no celular para poder me comunicar com algumas pessoas e comprar um par de chinelos novos, pois os meus então tão velhos que pareço que ando sob dois guardanapos com cabrecho, ou cabresto, nem sei, aquele negócio do chinelo.

Decidi fazer um caminho diferente, indo em uma rua paralela à avenida. Tudo tranqüilo demais e eu lembrei: tenho de escrever sobre o meu bairro, e o texto devaria começar assim “o meu bairro nem sabe o quanto eu gosto dele...”. Mas não começou assim, entretanto, vamos em frente.

A rua estava tão tranqüila, lembrava-me a outra rua paralela do outro lado, quando volto do trabalho eu volto por ela. Tem dias tão calmos, vou andando apenas escutando os meus passos, e isso acontece até na principal vez por outra.

Essas ruas assim calmas, de uma calmaria que parece enganar, pois alguém pode estar à espreita, esperando para lhe dar um bote... Não é hora de pensar nisso. Vamos para a calmaria mesmo.

Quais são os sons do momento? O grito e o riso das crianças, pois domingo todas acordam cedo com uma sede de viver, de brincar, de fazer tudo ao mesmo tempo, indescritível. Criança não descansa nunca. Posso ouvir também o canto dos pássaros, alguns em suas prisões, outros em suas árvores. Cantos dos mais tristes e dos mais alegres.

E domingo é dia de futebol também (qual dia não é para mim?). Passo na mercearia e compro meu par de chinelos pretos (parece sujar menos). E na volta vejo pai e filho, os dois com camisas alvinegras. O pai levando o saco de pão e a criança despreocupada em sua bicicleta.

E ali eu vi meu passado e futuro imaginário, sem saber se aconteceu ou se vai acontecer algo do tipo. Eu nem sei do futuro, eu esqueço um pouco do passado, eu vivo e brigo com o presente, eu esqueço o futuro, eu lembro o presente e o esqueço depois. Eu brinco com o presente planejando o passado e esquecendo o futuro. Vou vivendo, com passado, presente e futuro. E eu sei da minha relação confusa com o tempo, eu precisando dele, e ele me ajudando quando quer.

=]

11 comentários:

Airtiane disse...

Para um domingo chuvoso, nada melhor que a calmaria das ruas, aumenta ainda mais a vontade de permanecer no aconchego dos lençóis.
Mas, o domingo sempre pede mais alguma coisa...
Um almoço em família, casa lotada, reunião com os amigos, praia (quando o domingo não for de chuva, claro), um filme novo, um banho de chuva, ou até mesmo o velho e bom futebol, típico do domingo, que param até mesmo os olhares menos fanáticos em frente à TV.
É, domingo deve ser sim dia de calmaria, "relaxar para passar a semana tranqüilo".

PS: Gostei da relação com o tempo, lembrei algo que escrevi dia desses...

"Os sistemas rompem as fronteiras
Invadem o real e o imaginário
As redes reconectam o presente
O real relembra o passado
O imaginário repensa o futuro
Idealiza o futuro passado
Ou o passado futuro
Passado que não passa
Futuro que não chega
Presente que não passa"

PSS: eu tento escrever pouco, mas nunca consigo, quando vejo já foi...

Bjão
;D

lorena disse...

só você mesmo pra fazer do domingo um dia melhor. pra mim ele sempre foi um dia chato, que remete ao tedio, o prenuncio de correria e rotina. hehe

mas eu adoro esta tua relação viagem com o tempo, chegou a dar um nó aqui.

o passado é bom, é como um pai, dá sempre ensinamentos, sábio como ele só, o presente é nosso amigo ou nosso amor, curtição, aproveitar o momento, lembrar que a vida é boa de ser vivida e tem que ser intensamente, bem agora eu deveria dizer o que o futuro é, mas quem é que sabe mesmo?

vai depender de como você mistura os ingredientes passado e presente, daí você terá um bolo que cresceu ou um que murchou. huehuehe

voce viaja é me faz viajar tb . sempre me fazendo esticar os coments, sei naum viu rafa, a culpa é toda tua. rsrs

e ah, adorei te ver, msm que tenha sido mega-ultra-ligeiro.

te adoro rapaz

=]

Diego Medeiros disse...

Essa relação do espaço com o tempo...

O espaço que vez por outra pratico em atentos ouvidos e percepções, é do nosso feitio.

Meus abraços saudosos.

*Vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
*Vanessa disse...

Rapaz, depois de um longo dia visitando blogs(deu vontade, saí lndo) eu já tava indo dormir quando me deparei com o seu...e por incrível que pareça eu estava tentando imaginar como ía ser meu domingo, se eu ía assistir filme, dormir até tarde ou ía estudar o roteiro ue eu preciso criar...Você descreve bem. Escreve bem. Vou voltar mais vezes só porque consegui ouvir o canto dos passarinhos quando li. =D

Juss disse...

Atualize sempre seu blog rapaz. É a típica leitura que vale a pena. =]

Carla P.S. disse...

Eu também tenho essa ansiedade de viver, e amar.
Adoro essa intensidade toda!
Passo pra te deixar um café afetuoso (como teus comentários) e um chocolate em forma de coelhinho, porque mereces.
Beijão, boa semana.

Airtiane disse...

Precisa dizer nada não, um sorriso de satisfação vale demais e diz tudo.
Vou tentar abrir as gavetas e libertar minhas crônicas.
Ah, tomei banho de chuva hoje também, mas não foi daqueles desejáveis ou invejados. Pelo visto ela vai dominar os nossos (na gaveta tem umas que ela protagoniza).
Ah, é grande sim, talvez nem saiba o quanto, dia desses eu levo uma fita métrica e te mostro. hehehehe
Que bom que gostou, fico feliz.
Pode amarrar os fios sim. ;D
Eu só ia dizer que podia, mas não tem jeito não, começou não para mais né.
E onde já se viu poeta enrolar? Poeta descreve, relata e ensaia.
Ah, também tô aqui sempre sabe disso.

Bjão :D

PS: Tá chovendo...

marinaCavalcante. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marinaCavalcante. disse...

Já lhe disse as partes que gostei e, enfim... quero, pelo menos, ressaltar a última frase do texto. É um grande coringa. :D Adorei o blog! Um beijim!

*Vanessa disse...

Oi, faço CEFET sim, tô no 6 semestre...seus amigos fazem o que lá?

Ah, dá pra voltar a postar, por gentileza! Já li monte de coisa aqui e quero coisas novas =D

hehe
Abraço =]