domingo, fevereiro 20, 2011

Dia de chuva, dia de sol

A minha terra tem desses mistérios. Aqui, no meu Ceará, especificamente falando de Fortaleza, é possível que depois de uma forte chuva, ou um bom “toró”, como se costuma dizer, o sol apareça. Tem muitos casos de dias e mais dias de chuva também, sem nada de sol, como vem acontecendo nos últimos dias. E nesses dias, a minha vontade é uma rede e minha morena (ê, morena, que saudades doce).

Pois bem, esses dias, esperando pelo “humilhante coletivo”, como costuma dizer um amigo meu, presenciei um desses momentos de transição chuva-sol. Antes, um senhor, senhor mesmo, andava tranquilo, com um saquinho de pão, sem guarda-chuva, debaixo de uns bons pingos d’água. O céu estava cinzento e a água caia sem parar desde a noite anterior. O homem nem se abalava, e a importância daqueles pães para aquele senhor ou para sua família, quem sabe, acho que nunca saberei. Dava pra ver que os pãezinhos estavam bem quentes, pois vinham realmente fumaçando.

A parte mais legal, para encurtar a história e não ficar dando uma de chato, foi a hora da transição do céu nublado para o céu ensolarado. Fiquei a observar o céu com uma curiosidade mais poética do que científica. Pra mim, imaginei uma grande mão puxando uma linha de nuvem, como se desfizesse aquele gigantesco crochê cinzento, deixando para nossa alegria apenas aquele azul forte e mais vivo do que muita gente por aí.

A parte mais triste foi que parecia não haver mais ninguém reparando nisso. Todo esse espetáculo acontecendo em frente aos nossos olhos, como tantos belíssimos finais de tardes, presenciados em outros momentos, verdadeiras pinturas em pleno céu aberto ao alcance de todos, e só eu observando. Pudera, prefiro acreditar que, hoje, foi apenas pelo fato de todos terem conseguido pegar o coletivo e só eu ter ficado, olhando para o céu feito besta... Quem será mesmo que saiu perdendo nessa história? Vai saber...
=]

6 comentários:

Josi Puchalski disse...

Sempre bom pasar por aqui. Eu gosto dos espetáculos da natureza, simples e tão belos. Uma pena que ás vezes nos esquecemos de admirá-los.

Beijo

Simone Schuck disse...

Adicione simoneschuck@hotmail.com no MSN para um atendimento personalizado haha

Jéssica Trabuco disse...

Talvez tenha sido um espetáculo só para você.
Vai saber.

Gisa Carvalho disse...

Só quem observa os detalhes do cotidiano é quem tem alma de poeta.

Tamyle Ferraz disse...

o tempo é sempre um ótimo tema, até para puxar papo pruma cantada barata:

-tá quente aqui, né?!


Passei a ter abuso de chuva, depois que precisei pegar coletivos toda manhã... e a pranchinha no cabelo?
prefiro não comentar...



Abraço rafa, sempre bom passar por aqui.

Anônimo disse...

Oi fascinante esta página está muito estruturado.........bom trabalho :)
Amei Continua assim !!