domingo, agosto 22, 2010

Verde

Antes de mais nada, eu gostaria de agradecer o carinho de todos vocês.
Muito obrigado, de coração.
Fazem um bem danado para mim.
E gostaria de agradecer a Simone Schuck pelo presente lá no cabeçalho, ficou lindão.

Agradeço vocês pelo carinho e paciência, aos mais velhos e aos mais novos aqui pelo blog.

E vamos em frente, tudo do bom e do melhor para todos nós.
Beijos e abraços!
=]

Verde

- O que aconteceu, companheiro? Viu passarinho verde?

- Verde não era as asas, mas os olhos...

- Como assim? Mas tu não tava era trabalhando, em reunião agora há pouco?

- E foi ali mesmo.

- E como foi isso?

- Eu estava na reunião da diretoria sobre o novo projeto de comunicação, a nova identidade visual da empresa, reforçando a marca e a relação dela com o nosso Estado. Então, ela apareceu. Tão branquinha, cabelos castanhos e uns olhos, minha nossa, que olhos verdes!

Tinha de apresentar os novos conceitos da marca e toda a apresentação foi feita com o maior profissionalismo possível. Olhava nos olhos de todos os diretores e me demorava um pouco mais nos dela. Foi apresentada como nova diretora de marketing, recém-chegada do Canadá, onde fez doutorado. Pois bem, quando ela foi fazer a apresentação dela, me olhou e meu corpo todo esquentou mesmo o ar-condicionado congelando até pensamento ali na sala.

Não sei se foi apenas coisa da minha imaginação, mas achei que ela havia me dado um olhar diferenciado, não sei. Ao fim da reunião, o diretor-geral perguntou o que eu achava da nova identidade, queria minha opinião como consumidor, e não como analista. Então, deixei meu coração falar.

“O que eu achei? Linda, lindíssima, não lembro de meus olhos terem avistado algo tão belo nesses trinta anos. Está gravada na minha cabeça e por anos hei de lembrar com ternura e alegria essa minha visão de hoje. Com certeza, e é com toda a certeza mesmo, eu daria tudo por mais um tempo admirando... Hoje eu me senti como um aventureiro, ao deparar com a visão de um paraíso perdido, proibido, pois uma visão como essa é de encher os olhos e o coração, é capaz de elevar o espírito. Como se eu estivesse, enfim, vendo fogo, depois de passar anos na mais densa nevasca, como se estivesse vendo a mais brilhante e aconchegante luz depois de anos na mais densa e fria trevas...”

O meu chefe ficou olhando para mim admirado, e disse: ‘nossa, se nossa nova identidade apaixonar assim todos os outros consumidores...’. Mal sabe ele que não estava falando de marca alguma...

- E ela, deu algum sinal?

- Ela não deu a mínima, fez cara de quem está vendo passar carros e mais carros no meio da rua ou de estar assistindo uma disputa de xadrez entre dois bêbados...

Nisso, ela veio em nosso encontro. Saudou meu amigo e falou com um ar bem sério:
- Gostei da maneira como defendeu a nossa nova marca, foi apaixonante. Gostaria de ter mais profissionais como você. O que acha de uma reunião rápida agora ali no bosque?

E, por conta do ar tão grave dela, feito um juiz informando graves crimes, eu senti que a reunião seria pesada, apesar do ar leve do nosso pequeno bosque, em frente ao restaurante. Até que ela sorriu, e disse num tom tranqüilo e sugestivo:

- E sim, não esqueça de levar com você toda esse sentimento, essa paixão...

- Fique tranqüila. Essa paixão eu levo para todo lugar e só ela faz aumentar...
=]

7 comentários:

Gisa Carvalho disse...

Histórias de amor surpresa.. Lindo!

Géssica Andrade disse...

uma bela historia de amor! ^^

Fica bem.

Beijos'

Gian Le Fou disse...

História leve e bem construída, gostei do humor =)

Seu blog está demais, parabéns!

Grande abraço!

Rafaela ;D disse...

Que Bela historia... com verde de olhos e bosque!!

Tamyle Dias Ferraz disse...

Caro Rafael,
seu eu lírico se apaixona todo dia hein...

verde é minha cor predileta - precisava comentar-

saudades

L. M. disse...

A paixão é algo impagável mesmo, mesmo que dure um dia ou o tempo de uma reunião...

V. disse...

Uia.
Olhos verdes para mim, só os do Chico Buarque. Dá vontade de me perder naquele mar. ;-)

Beijo.