quarta-feira, janeiro 27, 2010

Sorriso da Lua

Como nos velhos tempos! Acabei de escrever e já estou colocando aqui. O plano não era esse texto não, mas espero que gostem.
Até o próximo.
Beijos e abraços!
=]

Foi uma das coisas mais bonitas que me disseram. Já me chamaram de anjo, de irmão, me fizeram elogios diversos por coisas até hoje incompreendidas por mim. No entanto, a frase dela foi de longe a melhor.

Conversávamos depois de uma semana separados. Uma semana? Pouco tempo não é mesmo? Mas o que é o tempo para os apaixonados? Quando quase nade de uma hora afastados é tempo demais e o exagero estrangula a razão sem piedade, perceba, você pode estar doente ou apaixonado, quem sabe, até os dois. Pode-se notar isso quando a semana começa e você está pensando no fim de semana para vê-la de novo.

Nessas conversas cotidianas através da internet (Tudo bem? Como foi o teu dia? Vai fazer alguma coisa hoje?), quando o coração bate tão rápido quanto os dedos batem nas teclas, percebe-se, ainda de forma diferente da presencial, um sentimento bom.

O encontro acontece, enquanto se aproximam, calmaria, tal qual pipa no céu sem ventania. O contato, tal qual o choque do rochedo com o mar, intenso e repetido diversas vezes sem vencedor, força da natureza.

A lua é testemunha e protagonista do ápice. O vento traz uma canção, aconchego-a em meus braços. É preciso dizer? Talvez não, mas entre sussurros, feliz coincidência da palavra “saudades”. Então, sem uma conversa inicial, olhando em meus olhos, em minha alma, ela diz: “Sabe, essas noites sem ti, pensando na vida e olhando pras estrelas, reparei algo estranho, espero que não ria de mim. Quando vi a Lua minguante, lembrei do teu sorriso, encantador, que eu acho tão bonito quanto...”.

Não consegui dizer mais nada, afastei um pouco seus cabelos cor de ouro e fui fazer um eclipse com aquele sorriso, feito sol pra mim, pois só de aparecer já ilumina tudo ao meu redor...
=]

12 comentários:

Josi Puchalski Sousa disse...

"...fui fazer um eclipse com aquele sorriso, feito sol pra mim, pois só de aparecer já ilumina tudo ao meu redor..."

Uau! não existe nada melhor que a saudade pra nos lembrar da paixão.

Beijo

http://eutimiaasavessas.blogspot.com/

Gisa Carvalho disse...

"Quando quase nade de uma hora afastados é tempo demais e o exagero estrangula a razão sem piedade"... Roubei a frase e coloquei no meu msn... Putz. Saudade.. Coisa que dói. Mas transforma o reencontro em mágica, num "eclipse"!

Jéssica Trabuco disse...

*---*
Que texto doce!
Falo e repito: fico muito feliz de ver homens escrevendo tão bem assim hoje!
Parabéns ;)

Jéssica Trabuco disse...

ps: pode colocar o link do meu blog aqui sim, fica à vontade ;)

Maíra disse...

Nada melhor do que a saudade pra tornar mais especial ainda um sentimento bom.
Gostei bastante!
beijos :*

Jaci disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaci disse...

Eu também te entendo, já passei por isso durante um bom tempo,lindo texto! Gostei muito mesmo. Engraçado, mas a parte que mais gostei foi a que a Josi comentou, não é a toa que somos amigas... Foi um prazer te receber no Lettres Blanches e no Eutimia as Avessas, apareça sempre! beijo

MaLu disse...

sentir saudades, é funtamental para ambos os sentimentos, a saudade é a afirmação do apreço.

ótimos textos , parabéns . :)

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE:
RAFAEL


DESEANDOOS UNAS FIESTAS ENTRAÑABLES OS DESEO FELIZ AÑO NUEVO 2010 Y ESPERO OS AGRADE EL POST POETIZADO DE LA CONQUISTA DE AMERICA CRISOL Y EL DE CREPUSCULO.

José
ramón...

marinaCavalcante disse...

E como nos velhos tempos
venho dizer que está lindo, simplesmente.

Texto muito bom mesmo...
transbordando sensações, sentidos,
sentimentos.

Grandes abraços!!!

Hilário Ferreira disse...

"Bate a saudade, bate o coração, bate os dedos nas teclas..."
Sem falar do final como a menina do primeiro comentário citou...
Se a prosa fosse em verso, eu diria que me lembrava um Humberto de sobrenome Gessinger, se não soar como um elogio, eu simplesmente gostei do texto.

Felicidade Clandestina. disse...

Nossa, lindo demais esse texto, como assim ''espero que gostem''? AMEEEI demais esse texto *-----* todo ele , mas principalmente esse teu final ''fui fazer um eclipse com aquele sorriso, feito sol pra mim, pois só de aparecer já ilumina tudo ao meu redor..." Isso que é iluminar os olhos e o coração.

beijos doces á você :**