sexta-feira, agosto 22, 2008

Afinal, pra que serve o poeta?

Boa pergunta.
Afinal, pra que serve o poeta?
Que pode o poeta entre criaturas senão amar?
Pra que serve mesmo?
Ele nasce para reparar em tudo.
No visto.
E no que ninguém quer ver.
Vê até demais.
O que não queria ver.
Serve para amar demais.
Tem licença pra isso.
Mas não pode ser amado.
Amar por natureza.
Amar mais do que ser amado.
Sempre.
Não pode entregar os versos.
Jamais!
Tesouro sagrado.
Dedicar pode.
Quem veio primeiro: o poeta ou a musa?
As musas.
Várias.
Há amor demais em cada poeta.
Ele nasce para os detalhes,
E para as grandes obras.
Para declarar todos os sentimentos.
Principalmente o amor.
Palavra usada demais.
Sentimento verdadeiro de menos?
O poeta pode tudo.
Criar verdades, mudar o mundo.
Ter mil mulheres.
Um sem futuro.
Quando ele nasceu, nenhum anjo veio dizer o que seria.
Ele já sabia.
Seria um remédio para todas as mulheres.
Amar demais.
Sem nada em troca.
Só inspiração. =]

2 comentários:

Diego Medeiros disse...

O poeta é útil desde que seja inútil. Desnecessário. Acaso.

lorena disse...

ai ai, amar mais que ser amado. sempre, ai ai rafa, assim vc acaba comigo.

poeta é um sofredor que já sabe que reclamar não adianta, poeta se acostuma a dor, não renuncia ao amor, dizem que ele é pateta, desesperado, mas ele segue sempre com fé na vida, por mais que lhe chamem de abestados.

=]