segunda-feira, maio 05, 2008

Minha arma

A palavra é minha arma
Meu verso
Com ele faço graça
Ou protesto

A palavra é minha arma
Meu verso
Com ele espanto o mal
Disperso

Eu já disse, é minha arma
Meu verso
Com ele mudo o mundo
O universo

A minha arma
O meu verso
Não conto apenas mentiras
Sou sincero
Minha arma
Meu verso
Dele eu sou senhor
Sou servo

A arma
O verso
Eu só quero me expressar
Não preciso de sucesso

Com ele eu faço vida
Invento amores
Multiplico alegria
Afasto as dores

A palavra é minha arma
Meu verso
Com essa vou embora
Me despeço
=]

4 comentários:

Rafaela, Aquela que Deus curou disse...

Te despedes tão cedo?!
Isto significa o quê?
Não queres nos privar de teus versos, não mesmo né?!

Milla disse...

Hey... que fofinho seu poema! Tava passando e não pude deixar de comentar... mto legal! ^^

bjs

lorena disse...

grande ayala
poeta preferido
vim por aqui viajar e resolvi comentar, te elogiar pelo belo versar, por esse dom supremo de saber rimar, de saber com as armas certas se armar e amar e sonhar, e viver como se fosse um sonho eterno, sonho bom, desses que a gente nunca quer acordar

viagem doida...

beijos meu lindo

marinaCavalcante. disse...

Eu faço é questão de comentar... está lindo! Gostei mto do final, como sempre. Rs*


- Te despedes apenas desses versos.
Não te despeças da poesia. Dispára!!!!