quarta-feira, janeiro 16, 2008

Saudade dela e quase tudo se acabou

"Ai que saudades da Terra/ Aquele que era planeta de verdade/ Ali não se tinha nenhuma maldade..."Toda lembrança que temos é passível de pequenas alterações feitas por nossa mente.Quando morávamos na Terra as coisas eram bem melhores. Não se tinha ainda colônias na Lua ou em Marte. Qualquer local de lá era bem melhor do que nas colônias. Banhos de sol, de mar, de chuva, água. Ah, a água...

Ah como era bom. Achei um livro de História da Terra bem interessante. Diz aqui o seguinte:
''Eles – homens pós-primitivos – não souberam como se portar junto com a Mãe-Terra. E como pouco a pouco foram destruindo-a, ela soube se vingar. Não se brinca com a Natureza. E mesmo com muito aviso de alguns lúcidos sobre a destruição do mundo (os loucos?), os Líderes de algumas nações não deram ouvidos.
Quem sabe um grupo de religiosos acolá não ficou feliz, pois finalmente puderam presenciar um cenário quase apocalíptico tal qual estava no livro sagrado deles. Um dilúvio, como aquele presente na crença de algumas religiões, acabou por fazer uma grande limpeza no planeta.

Pois bem, a operação é a seguinte: aquecimento global + falta de cuidados = destruição total. Aquele negócio das calotas polares derretendo e ninguém dando bola... Foi o que aconteceu. Alguns sobreviveram, não foram muitos. Os animais conseguiram escapar ainda não se sabe como. Estão até hoje procurando por algum barco gigantesco... Deus protege os pobres e o dinheiro protege os ricos.

Depois disso, foi aquela correria. Desespero instaurado na população mundial. Como nossos governantes não nasceram de um dia para outro, são todos bons animais, cobras criadas ou raposas velhas, deram um jeito. Com aquela conversa mole, mas convincentes, deram um jeito de acalmar à todos. Tudo era muito simples. Todos iriam ser salvos. Ufa! Ainda bem. E foram? Bom, uma coisa é uma promessa, outra coisa é a realidade...

Os ricos todos se salvaram. Os pobres e a classe média? Bom, muitos conseguiram escapar, afinal, mesmo no Novo Mundo alguém tem que trabalhar. E não pergunte como conseguiram fazer colônias tão rapidamente. Elas já tinham uma base e foi só acelerar a construção. É sabido: quando os poderosos irão perder algo, num passe de mágica tudo acontece. Mas sem radicalismo, nem todas as pessoas ricas são ruins e as pobres boas, não existe isso. Existem uns e outros esquecidos de seus semelhantes, apenas isso. E falar em semelhante é até difícil, pessoal procura diferença pra brigar... Contudo, continuemos.

E foi feito então o Novo Mundo, com o Velho Homem, esse, por sinal, demorou um pouco pra evoluir (evoluiu?) e se adaptar ao novo ambiente. Mas conseguiu e por isso estou aqui contando esta bela história. A sobrevivência do homem. Mui belo. Contudo, ainda temos problemas. Desemprego e doenças ainda existem. Outros problemas também. Ainda não temos a cura desse mal porque ele não afeta aos mais fortes ainda, aos mais ricos. Mas ainda vamos chegar nesse ponto. Ah se vamos...

Nenhum comentário: