sábado, junho 11, 2011

Conhecer

Engraçado, algumas pessoas possuem uma incrível capacidade de aparecer e conquistarem um espaço, um carinho e confiança como se fossem há tempos conhecidas! São pessoas feito furacão, aparecem e pronto! Como explicamos isso? Não explicamos, apenas aproveitamos a companhia.

Esses dias eu tava pensando na história de que tudo acontece quando tem de acontecer. Um tempo desses, eu tava tão sem dinheiro que quase cheguei a cobrar aluguel dos cravos que habitam meu nariz, pensei até mesmo em vender algumas revistas em quadrinhos e cartões telefônicos, tesouros da infância e adolescência. Hoje em dia já tenho uns trocados para garantir o açaí gelado nos dias de praia, enquanto há tempos ia para lá e levava apenas a grana da passagem. E olhe lá. E continuo com as revistas e cartões (e cravos) e ficaria muito triste se tivesse me desfeito deles (menos dos cravos).

Incluo “no acontece quando tem que acontecer” as pessoas que conheço. Enrolei anos para fazer meu curso de italiano, por exemplo, e hoje já não me imagino sem os amigos que fiz por lá. Alguns amigos aparecem e desaparecem, mas nem por conta disso deixam der ser queridos. Acho muito legal também as “cadeias de amizades”. Uma pessoa conhece outra, amiga, e, depois, o amigo, depois, a amiga e por aí vai... E devo muita coisa a uma certa cadeia de amizades...

Algumas pessoas conversam durante anos em ônibus, trens e lugares outros sem nem mesmo conhecerem o nome uns dos outros. Existe aquela conversa sem objetivo, nem conversa deve ser. Ás vezes são apenas “oi, tudo bem”, “olá”, “bom dia” e nada mais. Outros conversam a vida toda, sabem nome, CPF, quanto calçam e tudo mais, mas não sabem de nada. De nada. Conversas rasas. O legal é que ao mesmo tempo existem pessoas pras as quais a gente se entrega total. Conta todas as alegrias e todos os medos. Confiança. Deve ser esse o nome.

Eu gosto das nossas conversas, pois alternamos sérios assuntos, como crimes, problemas nacionais e a péssima administração municipal, e coisas mais leves, como desenhos que marcaram a infância, dor de barriga, casamento do príncipe inglês e sonhos malucos.

Engraçado que quando tu apareceu, eu não te conhecia. Não? Então por qual motivo eu fiquei extremamente feliz por te ver? Por qual razão eu fiquei triste ao pensar que teu primo era teu namorado? Por que eu fiquei feliz ao te ver voltando ao terem desistido de ir embora? Eu podia até não te conhecer nessa vida, ainda, mas eu tenho certeza: somos amantes desde outras vidas. Namoramos, casamos, tivemos filhos e fomos felizes em outros tempos, outros lugares. E é assim que vai ser agora, como nas outras vidas, ficaremos juntos, prassempre.

Meu amor, o teu sorriso é capaz de fazer o mundo parar de girar só para contemplá-lo junto comigo. O teu sorriso, amor, o teu sorriso, brilha no escuro assim como os teus olhos...
=]

2 comentários:

lorena disse...

uma vez me disseram : " a gente se parece tanto que eu não sei explicar, acho que esse parecer é de um tempo imemorial"

essa frase me marcou muito e acredito muito nisso. nos laços que a gente faz, nos encontros que a vida nos proporciona

tem gente que tem o dom de entrar na nossa vida sem pedir licença, se instalar e ficar sem pagar aluguel... rsrs

como é bom quando isso acontece, seja amor ou amizade, essa gente "metida" é que nos faz feliz de verdade.


beijos rafa

=]

Katherine disse...

http://katherineemvida.blogspot.com/2011/05/do-lado-de-cado-lado-de-la.html depois vc da uma lida pra ver se vc gosta ok?... parece um pouco com o que vc disse nesse seu post.. aqui vc sumiu da minha vida la em rsrs saudades bjs